segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Casa arrumada


Casa arrumada é assim:
Um lugar organizado, limpo, com espaço livre pra circulação e uma boa entrada de luz.
Mas casa, pra mim, tem que ser casa e não um centro cirúrgico, um cenário de novela.
Tem gente que gasta muito tempo limpando, esterilizando, ajeitando os móveis, afofando as almofadas...
Não, eu prefiro viver numa casa onde eu bato o olho e percebo logo: Aqui tem vida...
Casa com vida, pra mim, é aquela em que os livros saem das prateleiras e os enfeites brincam de trocar de lugar.
Casa com vida tem fogão gasto pelo uso, pelo abuso das refeições fartas, que chamam todo mundo pra mesa da cozinha.
Sofá sem mancha?
Tapete sem fio puxado?
Mesa sem marca de copo?
Tá na cara que é casa sem festa.
E se o piso não tem arranhão, é porque ali ninguém dança.
Casa com vida, pra mim, tem banheiro com vapor perfumado no meio da tarde.
Tem gaveta de entulho, daquelas que a gente guarda barbante,
passaporte e vela de aniversário, tudo junto...
Casa com vida é aquela em que a gente entra e se sente bem-vinda.
A que está sempre pronta pros amigos, filhos...
Netos, pros vizinhos...
E nos quartos, se possível, tem lençóis revirados por gente que brinca ou namora a qualquer hora do dia. Casa com vida é aquela que a gente arruma pra ficar com a cara da gente.

Arrume a sua casa todos os dias...

Mas arrume de um jeito que lhe sobre tempo pra viver nela...
E reconhecer nela o seu lugar.


Drummond

6 comentários:

Dag Veloso disse...

Lindo! Eu amo esse texto!
Fer, deixei resposta ao seo comentário no blog, se quiser dar uma olhada lá e ver o que respondi, talvez ajude a esclarecer sua dúvida.
Beijo.

Olho no olho disse...

Eu recebi um e-mail com essa crônica de Drummond e me encantei com ele. Como adoro está em casa, vivi cada palavra como se estivesse vendo a minha casa e procurando aonde poderia dar uma mudada para dar mais vida a ela.
Graças a Deus o que não falta em minha casa é vida e falatório e você sabe muito bem o que digo. Aqui o que não falta é conversa. . . Hehehehe!
Um abraço.

Palavras Vagabundas disse...

Amo esse texto de Drummond e sempre procurei que minha casa fosse desse jeitinho assim.
bjs
Jussara

Sil Villas-Boas disse...

Nanda
A crônica tá muito bonita. Obrigada por postá-la no Jardim.
Bjussss
Sil

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

O poeta tinha razão.

É preciso cuidar das paredes,
mas não esquecer
de cuidar da vida,
que dá sentido
as paredes.

Viver é sentir os sonhos
com o coração.

João Ludugero disse...

Lindo texto!
Adoro Drummond. Fantástico!
A vida requer cuidados a todo instante, pois ela é curta demais para ser pequena.
Mega abraço,
João Ludugero.
Até mais!
Tenha um ótimo fds!