sexta-feira, 20 de maio de 2011

MEU SANGUE AZUL TINTEIRO EM POESIA - João Ludugero


                                    
                                          A poesia é como um riacho,
                                                               Leito de verbos
Que o mel adoça,
Onde a alma do poeta se banha,
Sob os primeiros raios
Do amor derramado
Ao quebrar de toda manhãzinha.
Sei que amar/é/linha
De sol, amar-elo,
Um deitar manhoso,
Manso abrindo janelas à imensidão,
No remanso das palavras
Que se prestam ávidas
À soberana manha
Do sentir, arte e ofício.
Poesia é unir/verso,
É perfume visível
Que não desaparece
Quando entranha na pele. 
É devoção, poder, paixão tamanha.
Poesia é meada,
É fio de esperança que se alinha
No equilíbrio de um pote sagrado
Sustentado na cabeça
Sob a rodilha
Do  eterno cio
De um rio onde
Se fecundam sonhos,
Mesmo que salobros sonhos,
A duras penas fertilizados
Em versos testemunhos.

Poesia é magia e potestade,
Que singra horizontes por dentro
Da carne viva do coração
Que se esvai sem medo,
E fortalecido se dobra
Até à boca do céu
E desce encarnado,
E cobre de azul tinteiro
A nobre veia do poeta,
Querendo fazer
Um pacto de sangue
Multicolorido.
Do poeta João Ludugero, no blog cheio de poesia http://ludugero.blogspot.com/ , que vale muito a pena conhecer.

10 comentários:

João Ludugero disse...

QUERIDA FERNANDA,
BOA NOITE!

VOCÊ NÃO PRECISA PEDIR LICENÇA
PARA "FURTAR" MEU POEMA,
POIS QUANDO O FAZES
SÓ MULTIPLICAS AINDA MAIS
AS CORES DENTRO DO TEU MÁGICO
POTE DE PALAVRAS.
FURTAR-CORES?
NÃO, ESPALHÁ-LAS EM JORROS
DE CÂNTAROS E JARROS
DE INTENSO LUME.
ISSO SÓ ENGRANDECE
A ALMA DA GENTE,
POIS TUA ÍRIS É MAIOR
QUE TEU ARCO...ACREDITE!
SE DEPENDER DE TI,
MINHA POESIA VAI GANHAR O MUNDO.
TE ADORO! AGRADEÇO A DEUS POR PODER COMPARTILHAR DA SUA AMIZADE.
ABRAÇO ILUMINADO
DO JOÃO, POETA.

Marly Bastos in "palavreados ao vento" disse...

Fernanda,
Já havia visto essa poesia do Ludugero e achei linda, forte e muito criativa. Ele brinca com as palavras e desfia a poesia, conceituando a poesia.
Obrigada pela visita e parabéns pela postagem.
Abraços e bom fim de semana.

Cadinho RoCo disse...

Muito bom buscar poesia na poesia.
Cadinho RoCo

Maria Lúcia - Asas da Imaginação disse...

Oi amiga! Que bom te ver lá em casa!
Este poema é bastante complexo, não?
Beijocas.

DÉIA disse...

Ei Fernanda que poesia maravilhosa amei principalmente esse final ai mexe, muito com a gente que gosta de poesias eu amo poesia...Agora esse final é d+++ Poesia é magia e potestade,
Que singra horizontes por dentro
Da carne viva do coração
Que se esvai sem medo,
E fortalecido se dobra
Até à boca do céu
E desce encarnado,
E cobre de azul tinteiro
A nobre veia do poeta,
Querendo fazer
Um pacto de sangue
Multicolorido....

Lindo lindo lindo

Anônimo disse...

Poema encantador...Lindíssimo!!!
Que pote mais cheio de luminosidade.
Haja potabilidade... é a poesia jorrando em cântaros e cantares. Magnífico!!!!
Parabéns poeta J. Ludugero! És único!!!!!
Abraços,
Josias

Tatiana Kielberman disse...

Lindo poema do João, como sempre!!

Beijos, querida!

Anônimo disse...

Já li várias vezes este poema. Várias amigas leram e releram. Gostaríamos de saber se nós podíamos copiá-lo num monogria que estamos fazendo sobre literatura lá na Universidade?
Por favor, diga quesim! pois está lindíssimo!
Não achamos outro igual! Queríamos este! Como fazemos? O poeta que compôs este texto tem o livro para vender? Grande abraço. Voltaremos aqui. Até mais!
Melba Di Carli Souza e Ruth Firmino Escobar

Fernanda disse...

Melba e Ruth, João é um excelente poeta, não? O blog dele é excelente e ele é super disponível. Entrem em contato com ele, acho que não haverá problemas!

http://ludugero.blogspot.com/

Um abração!

Roberta disse...

Nanda, que lindo poema! Obrigada por nos brindar com ele.Vou visitar o blog correndo.