terça-feira, 4 de outubro de 2011

SOLIDÃO


 
                                       
                                                                   Hilda Lucas
.
 
Que me desculpem os desesperados, mas solidão é fundamental para viver.
Sem ela ...não me ouço, não ouso, não me fortaleço.
Sem ela me diluo, me disperso, me espelho nos outros, me esqueço.
Não penso solto, não mato dragões, não acalanto a criança apavorada em
mim, não aquieto meus pavores, meu medo de ser só.

Sem ela sairei por aí, com olhos inquietos, caçando afeto, aceitando
migalhas, confundindo estar cercada por pessoas com ter amigos.
Sem ela me manterei aturdida, ocupada, agendada, só para driblar o
tempo e não ter que me fazer companhia.

Sem ela trairei meus desejos, rirei sem achar graça, endossarei idéias
tolas só para não ter que me recolher e ouvir meus lamentos,
 meus sonhos adiados, meus dentes rangendo.
Sem ela, e não por causa dela, trocarei beijos tristes e acordarei
vazia em leitos áridos.
 Sem ela sairei de casa todos os dias e me afastarei de mim, me
desconhecerei, me perderei.

Solidão é o lugar onde encontro a mim mesma, de onde observo um jardim
secreto e por onde acesso o templo em mim.
Medo? Sim. Até entender que o monstro mora lá fora e o herói mora aqui
dentro.
 Encarar a solidão é coisa do herói em nós.
Transformá-la em quietude é coisa do sábio que podemos ser.

Num mundo superlotado, onde tudo é efêmero, voraz e veloz,
a solidão pode ser oásis e não deserto.
Num mundo tão estressado, imediatista, insatisfeito,
a solidão pode ser resgate e não desacerto.

Num mundo tão leviano, vulgar, que julga pelas aparências e endeusa
espertalhões, turbinados, bossais,
a solidão pode ser proteção e não contágio.
Num mundo obcecado por juventude, sucesso, consumo,
a solidão pode ser liberdade e não fracasso.

Solidão é exercício, visitação.
É pausa, contemplação, observação.
É inspiração, conhecimento.
É pouso e também vôo.
É quando a gente inventa um tempo e um lugar
para cuidar da alma, da memória, dos sonhos;
 quando a gente se retira da multidão e se faz companhia.

Preciso estar em mim para estar com outros.
Ninguém quer ser solitário, solto, desgarrado.
Desde que o homem é homem, ou ainda macaco,
 buscamos não ficar sozinhos.

Agrupamo-nos, protegemo-nos, evoluímos
 porque éramos um bando, uma comunidade.
Somos sociáveis, gregários.
Queremos amigos, amores.
Queremos laços, trocas, contato.
Queremos encontros, comunhão, companhia.
 Queremos abraços, toques, afeto.

Mas, ainda assim, ouso dizer:
é preciso aprender a estar só
 para se gostar e ser feliz.
O desafio é poder recolher-se para sair expandido.
É fazer luz na alma para conhecer os seus contornos, clarear o caminho
e esquecer o medo da própria sombra.

Ouse a solidão e fique em ótima companhia.

13 comentários:

Tatiana Kielberman disse...

Ando super necessitada dessa bondosa solidão, Fernanda... Acho que, aos poucos, a estou encontrando!

Beijos, adorei o texto!!

Marilene disse...

Querida Fernanda!

Hj mesmo falava com uma amiga sobre isso , e agora vejo que vc postou , muito interessante e lindo, obrigada bjos

Marilene

Olho no olho. disse...

Oi Nanda.
Durante minha vida tive que viver vários momentos de solidão e fui aprendendo a conviver com ela. Aprendendo a tirar proveito desses momentos para meu autoconhecimento. Refletir sobre si, sobre seus erros e acertos é muito importante para aprendermos a nos tornarmos melhores.
“Aqueles que não sabem viver suas solidões tem medo de si mesmo”.

Roberta disse...

Adoro meus momentos comigo mesma, mas nem sempre foi assim. Antes eu confundia solidão com tristeza e só depois que aprendi a me ouvir e me curtir é que comecei a gostar desses momentos. Aliás, preciso deles para estar bem com as outras pessoas.

。♥ Smareis ♥。 disse...

Texto bonito e reflexivos, a solidão as vezes faz bem pra alma.Desejo uma ótima semana cheia de coisas especiais. Beijos

Van disse...

Adoro está comigo mesma, não chamo de solidão, é apenas fazer-me companhia e ouvir-me longe do burburinho de muita gente ao redor.

Um beijo Fernanda!

Van disse...

estar* comigo mesma

Talita disse...

sentindo sua falta...

Beijos, linda quinta feira!!!
tatapalavrasaovento.blogspot.com

Daniele Barizon disse...

Solidão, em dado momento, é necessidade tb.

Bjs!!

thauane vitória de cristo disse...

ola acho que emfim conheci vc a fernanada vila boas
vc que e a amiga da ladjane
de quem ela tanto fala e um prazer te conhecer
e apartir de agora vou sempre ver suas postagens
beijos

Fernanda disse...

Obrigada, Thauane! Seja muito bem vinda!

Fernanda disse...

Talita, ando meio sumida mesmo, mas sempre que entrar aqui passo pra te visitar, ok? Bjs

Fanzine Episódio Cultural disse...

Conheça o grupo ATRAÇÃO DOS MOLEKES
”pagode com malícia mineira"
http://atracaodosmolekes.blogspot.com/
A/C João Batista Pereira (35) 3295-4031
===========================================
SE VOCÊ GOSTA DE FILMES, DESENHOS, SERIADOS E SÉRIES DE TV, NÃO DEIXE
DE LER O FANZINE EPISÓDIO CULTURAL.
VOCÊ PODE PARTICIPAR ENVIANDO SUGESTÕES.
A/c CARLOS: machadocultural@gmail.com
===========================================================

A ACADEMIA MACHADENSE DE LETRAS (Machado-MG) comunica que estão
abertas as inscrições para o VIII Concurso Plínio Motta de Poesias, do
ano 2011.
Inscrições até 21 de outubro de 2011. Entrem em contato para adquirir
o Regulamento:
a/c Carlos Roberto machadocultural@gmail.com
===================================
ESTE CONCURSO ESTÁ ABERTO A TODOS!

O VALOR DE 2 REAIS CORRESPONDE À INSCRIÇÃO PODE SER COLOCADO DENTRO DO
ENVELOPE CONTENDO AS 6 CÓPIAS DO POEMA.

ABRAÇOS

CARLOS